Escolha uma Página

Por que mentimos

A pesquisa da mentira é muito abrangente e a pergunta “por que mentimos” talvez seja uma das mais instigantes. Diversos autores, cientistas e pesquisadores se debruçaram sobre o tema.

O objetivo do presente artigo é focar as principais causas da mentira, lembrando que não existem valores de juízos, ou seja, o especialista em linguagem corporal e mentira evita julgar a mentira contada.

Tanto os homens como os animais mentem, evidente que nestes não existem processos cognitivos, ao longo de nossa evolução sofisticamos a arte de mentir, mais do que isto, elevamos ela ao máximo; muito além do motivo de sobrevivência, tal como ocorre em outras espécies.

Antes de entrar propriamente nos principais motivos que levam o ser humano mentir, peço que veja o vídeo da cobra nariz-de-porco (hognose snake – http://www.youtube.com/watch?v=3yuRT9JplC4 ). Nada mais dramática que ela; por não ser venenosa; primeiro finge ser agressiva, aumenta a cabeça e ameaça como uma naja, depois se recolhe, dramatiza e se finge de morta – solta um cheiro horrível pela cloaca. Vendo que tudo não dá resultado, foge. O motivo é sobrevivência.

                                     Motivos porque mentimos

1.    Medo de punição

Talvez seja o mais comum. A criança, mesmo não sabendo mentir e sem conhecer os processos da mentira, mente para escapar da punição. Quando quebra um vazo, diz que não foi ela. O motivo é o mesmo quando o adolescente tira notas baixas, o político é pego com dinheiro nas cuecas etc.

 

2.    Ganhar prestígio

Cadetes da escola militar, após longos períodos confinados tinham licença para viajar. Na volta a Academia faziam “duas” coisas: abrir e fechar gavetas e mentir sobre as aventuras amorosas. Este tipo de mentira tem poucas consequências, todavia é muito comum em pessoas que ampliam seus currículos com títulos de mestrados, cursos no exterior, experiências de liderança que nunca tiveram na vida.

 

3.    Medo do castigo físico

Muitas crianças mentem com medo de apanhar dos pais, dos “amigos” na escolha etc. São João mentiu três vezes ao negar Cristo provavelmente por medo do castigo físico que certamente chegaria a morte.

 

4.    Evitar certos tipos de constrangimentos

Certa vez em um programa de televisão durante a entrevista com três atores de novela foi feita uma pergunta se os dois estavam tendo um caso; a outra atriz, mas experiente, de imediato tomou a palavra e mentiu para proteger o casal. Neste caso, além de evitar constrangimentos, tirou os dois de uma situação extremamente embaraçosa, pois eram casados.

 

5.    Ganhos materiais e pessoais

A lista é bastante extensa. O vendedor que exalta as qualidades do tênis de couro, quando na verdade sabe que ele possui apenas 5% do referido material. A empresa que vende o perfume que atraem qualquer tipo de homem ou mulher. A televisão que vai durar por toda uma vida. Nos ganhos pessoais, o galanteador mostra qualidades que não possui para conquistar a amada. O pretendente ao cargo que amplia suas qualificações pessoais.

 

6.    Preservar a privacidade

Muitos artistas não falam abertamente de sua vida amorosa, casamento etc. Isto visa preservar a intimidade e os contatos com os fãs. Alguns mesmos com relacionamentos estáveis omitem durante as entrevistas tendo em vista angariar mais fãs.

 

7.    Manipular informações

O chanceler alemão Otto von Bismark dizia: “Nunca se mente tanto como em véspera de eleições, durante a guerra e depois da caça.”

Muitos políticos dizem informações erradas, especialmente com estatísticas, sem a mínima noção da realidade.

 

8.    Apoiar ou beneficiar outra pessoa

A menina que solicita para a mãe da amiga que a deixe dormir em casa para estudarem juntas quando o verdadeiro objetivo é saírem para a balada.

 

9.    Prazer

Assim como muito atletas se arriscam pelo prazer da aventura, pelas altas taxas de adrenalina; existem mentirosos que mentem pelo simples prazer de mentir; o ganho é o prazer de ver a vítima enganada e de provar sua capacidade de mentir, sua superioridade em relação à pretensa vítima. Ekman chama isto de o ‘prazer de enganar” (deleite de enganar. “A mentira pode ser vista como uma realização que o faz sentir-se bem.” (Telling Lies)

Final

Os motivos nem sempre são isolados, se mesclam entre si. Existem outros motivos, mas creio que este resumo abrange grande parte deles. As mentiras são facilmente propagadas, na maioria das vezes não pela competência do mentiroso e sim pela incompetência da vítima.