Escolha uma Página

 POR QUE MENTIMOS

 No mês de janeiro de 2012, o noticiário da televisão brasileira foi tomado pela “grávida de Taubaté”. Depois de aparecer em várias emissoras e jornais como grávida de quatro meninas e como o marido tendo feito vasectomia, a pedagoga resolveu “desaparecer”.

A mentira era mais do evidente em termos de linguagem corporal. O tamanho da barriga e sua forma de andar já denunciavam a farsa. Aliás, em todo o mundo ocorrem relatos de falsas grávidas quase que diariamente.

Os questionamentos das pessoas e dos jornalistas focaram nos motivos pelos quais ela mentiria daquela maneira.

No livro “Não minta para mim. Psicologia da mentira e linguagem corporal” a ser lançado em breve; falo sobre os vários motivos que levam o ser humano a mentir.

A pergunta “Por que mentimos?” talvez seja uma das mais instigantes. Diversos autores, cientistas e pesquisadores se debruçaram sobre o tema.

Os motivos pelos quais mentimos são os mais variados, todavia por uma questão de cunho prático podem ser unidos em vários grupos e de acordo com as especificidades do autor de determinadas pesquisas.

Motivos porque mentimos

1.         Medo de punição

2.         Ganhar prestígio

3.         Medo do castigo físico

4.         Evitar certos tipos de constrangimentos

5.         Proteger pessoas e preservar reputação

6.         Ganhos materiais e pessoais

7.         Preservar a privacidade

8.         Manipular informações

9.         Senso de poder

10.      Manipular o comportamento do outro

11.      Esconder algo – “Quem não sou eu”

12.      Mentiras como realização de um desejo

13.      Apoiar ou beneficiar outra pessoa

14.      Causar danos ao outro

15.      Prazer

No livro descrevo cada um destes motivos e cito diversos exemplos que ocorreram na sociedade brasileira e em outras culturas. Lembro que os motivos podem estar intercalados.

Entre os casos que pesquisei, a falsa gravidez aparece com certa frequência, mas em alguns deles se tratarde distúrbio psicológico. Certamente não foi o caso de Marli (nome fictício) que andava pelo Rio de Janeiro com a “barriguinha” de plástico. Tinha algumas vantagens, andava de ônibus sentada, não entrava em filas, tinha preferência em todos locais que ia. Abandonou a falsa gravidez quando descobriu que não consegui paquerar ninguém.

Observe o video:

http://www.youtube.com/watch?v=8StGOWCQ5NM

Veja em 7:07 min a o ombro direito se ergue mais que o esquerdo, embora os dois se encolham. É um sinal clássico de mentira.
Todavia o andar mostra que a a barriga é artificial, não existe esforço e peso nas costas. A barriga não balança.