O beijo na linguagem corporal – Parte I

postado em: Artigos | 0

Linguagem corporal –  O beijo I

Beije-me, beije-me mais e mais. 

Com todo os beijos que puderes

pois em meus lábios estão os beijos de todas as mulheres

que sofreram por amor. 

 

História
Dentre as primeiras descrições escritas do beijo na boca estão incluídas a do poema épico Mahabharata, escrito há 3.000 anos na Índia antiga e no Cântico dos Cânticos, do Antigo Testamento. (Wikipédia)
Antigos relatos sobre o beijo remontam a 2500 a.C., nas paredes dos templos de Khajuraho, na Índia. Diz-se que na Suméria, antiga Mesopotâmia, as pessoas costumavam enviar beijos aos deuses. Na Antiguidade também era comum, para gregos e romanos, o beijo entre guerreiros no retorno dos combates.
Os imperadores permitiam que os nobres mais influentes beijassem seus lábios, e os menos importantes as mãos. Os súditos podiam beijar apenas os pés. O imperador Calígula esticava apenas o dedo médio para que os súditos o beijassem. (Wikipédia)

Rodin-Beijo2

O beijo de Rodin.

 

Etimologia da palavra
A palavra beijo vem do latim basiare. Os persas usam a palavra bons para falar em beijo.
Na realidade os romanos tinham três palavras para designar beijo:
– suavium – beijo do amor
– osculum – beijo da amizade e religioso
– basum – servia tanto para beijo entre amantes como beijo de saudação

Segundo Xavier Fauche, antigamente se dizia que o osculum pertence ao domínio da sagrado; suavium ao do prazer. Aos filhos damos tantas osculas quanto desejamos, mas o basium está reservado apenas para a esposa.

Simbologia dos beijos
O antropólogo Ernest Crawley escreveu, no início do século XX que o beijo é “uma expressão universal na vida social das civilizações, o mais elevado dos sentimentos de afeto, amor (sexual, parental e filial), e veneração”.
O referido autor ainda diz que o beijo nas sociedades ocidentais tem sido usado em vários atos religiosos e cerimoniais e tem um valor sacramental.
O amor e a fidelidade se encontrarão; a justiça e a paz se beijarão. (Salmo 85:10)

O certo é que qualquer tipo de beijo, seja romântico ou não, normalmente sugere reconhecimento, carinho, aprovação, (re)conciliação etc.
Todavia que existem outros tipos de beijos como o “beijo da morte” dado entre mafiosos, ou o beijo que Judas deu em Jesus para identificá-lo; neste caso o significado é o de traição. Aliás, Santo Agostinho considerava o beijo de Judas como sinal da falta de coesão interior e falta de adequação entre o coração e a boca, o que se é e o que se quer parecer.

Nas tradições religiosas o beijo é normalmente um sinal de respeito ao sagrado, muitas vezes de humildade.
Nas cerimonias de casamento ocidental o beijo nupcial une o sagrado ao romântico, embora os contos de fadas europeus como Branca de Neve ou a Bela Adormecida marquem a abordagem do verdadeiro amor por meio de um beijo que acorda a alma e não a libido sexual desumana. (O livro dos símbolos. Taschen)

Origem dos beijos
Muitos antropólogos estudaram as origens do beijo na raça humana. Os mesmos, ainda não chegaram a uma conclusa à respeito do beijo no mundo animal, se é instintivo ou aprendido.
Alguns dizem que nossos ancestrais lambiam a face de seus congêneres para satisfazer a necessidade de sal. Disto surgiu o beijo, mas para uns se trata de uma interpretação muito rasa.
Outros autores sugerem que o beijo surgiu do ato da mãe levar comida ou água na boca do bebê, após mastigar.

Fisiologia
O beijo é algo extremamente complexo, tanto no nível fisiológico, como no nível emocional. Requer coordenação muscular que envolve 34 músculos faciais e 112 músculos posturais, sendo que o músculo mais importante é o orbicular (utilizado para franzir os lábios). Neste ponto é bom recordar que os nossos lábios têm terminações nervosas extremamente sensíveis ao toque ou qualquer outro tipo de estímulo.
Seha no plano físico como no emocional o beijo apresenta efeito redutor do estresse. Casais que se beijam com mais frequência tem menor nível de estresse que os demais, bem como a diminuição do colesterol.
No beijo a glândulas adrenais liberam epinefrina e norepinefrina (adrenalina e noradrenalina) no sangue, causando uma descarga de adrenalina, isto causa um impacto benéfico sobre o sistema cardiovascular, porque o coração bombeia mais rápido. (Wikipédia).
Segundo o Dr. Alexander DeWees, um beijo apaixonado, geralmente queima até 2-3 calorias por minuto.

O beijo a linguagem corporal
Evidentemente que o beijo tem bastante significado no estudo da linguagem corporal. No namoro é considerado por muitos o “ponto de corte”, ou seja, se no primeiro beijo “rolou química”, o namoro continua, se não, acaba por ali mesmo.
Cada povo beija de uma maneira e o brasileiro não é diferente. Ao longo dos anos a dinâmica dos beijos tem mudado muito em nosso país.
Culturalmente existem variações em cada região, no Rio Grande do Sul, por exemplo: são três beijos na face quando amigos se encontram ou durante as apresentações; no Rio de Janeiro são dois; já São Paulo se destaca pela miserabilidade: apenas um.
A distância entre os corpos também pode ser notada, quando maior for a diferença social, maior é a distância do quadril ou inclinação do tronco para manter a distância. Quando mais forem “iguais”, maior é a aproximação.
No Brasil ainda são pouco homens que se beijam na face ou simulam o beijo na face como cumprimento. Observei que isto é mais comum em artista e pessoas famosas.
O selinho ganhou notoriedade com a apresentadora Hebe Camargo e parece que estava se disseminando, mas ainda não é utilizado em larga escala. Algumas mães dão selinhos em filhas e filhos em tenra idade, mas depois quase que desaparece.

No próximo artigo, vamos ver o significado dos vários tipos de beijos.

Nota: gostaria de encontrar o nome da poetisa carioca do início do século XX.

Deixe uma resposta