Microexpressões e gestos de mentira

postado em: Artigos | 0

 Microexpressões e gestos de mentira

 

Nem sempre é fácil avaliar a mentira por meio de Microexpressões, elas ocorrem em ¼ de segundo. São rápidas demais para que o olho humano observe com precisão.

De certo modo é reconfortante ver o policial das séries americanas observar de imediato as microexpressões na face das pessoas e concluir rapidamente. Pura ficção científica no estrito termo da palavra. Porque ficção científica? Porque a linguagem corporal é uma ciência.

A face humana segundo Ekman é capaz de produzir até 10 mil expressões diferentes.  Em artigo anterior escrevi sobre as dificuldades na observação. Aqui ressalto que as dificuldades não são empecilhos, ao contrário; todavia que extremo cuidado deve ser tomado.

Pesquisando em vários livros, enumerei uma lista das expressões de mentira. Trata-se de uma lista aberta que necessita estar dentro de um contexto e que para cada item teríamos que escrever várias páginas. Quem sabe fica para o meu próximo livro.

Sucesso.

 1. Gestos do macaquinho. Levar ambas as mãos ao rosto. De modo mais ameno, passar os dedos nas sobrancelhas.

 2.  Gestos do macaquinho. Levar as mãos aos lábios. De modo mais ameno, limpar os lábios com os dedos ou as mãos.

 3.  Gestos do macaquinho. De modo mais ameno, beliscar os lábios com a ponta dos dedos ou colocar um objeto nos lábios (lápis, por exemplo).

 4.  Gestos do macaquinho. Passar uma ou ambas as mãos as orelhas. De modo mais ameno, mexer no colarinho. M

 5.  Gestos do macaquinho. Levar ambas as mãos as orelhas e baixar a cabeça de modo ostensivo. “Não quero  escutar aquilo que estou falando.”

 6.  Escasso ou nenhum contato direto nos olhos. (dentro de um contexto)

7. Controle dos movimentos dos braços e das mãos. Pouco movimento.

8. Movimentos rígidos, tensos, repetitivos e mecânicos. Mãos, os braços e as pernas tendem a ficar encolhidos contra o corpo,  pessoa ocupa menos espaço.

9. Encolhimento. Cabeça afunda dentro dos ombros  – visa parecer mais tranqüila.

10.  Falta de sincronismo entre gestos e palavras.  O mentiroso fala e depois faz o gesto.

 

11. Movimentos da cabeça mecânicos. Repetitivos.

12. Movimento de distanciamento para longe do acusador.  (procura uma saída)

13. Dificuldades para se defrontar e observar diretamente o outro.

14.  Corpo encolhido, braços junto ao plexo solar. Queixo baixo. Pernas juntas ou cruzadas.

15. Escasso contato físico, muitas vezes totalmente ausente.

16. Corpo trêmulo: as mãos tremem. Esconder as mãos atrás do corpo ou até mesmo no bolso

17. Movimentos dos olhos para cima e a direta

18.  Demora em responder as perguntas.  Visa ganhar tempo para mentir.

19.  Falta de sincronia no rosto.

20. Expressão corporal assimétrica na face.

21.  Expressão totalmente tranquila e relaxada quando o assunto ou a acusação é por demais grave.

22.  Utilizar as mesmas palavras de quem o ouve para afirmar seu ponto de vista.

23. Deixa de mencionar aspectos negativos, especialmente se todos forem notórios.

24. Acrescentar informações até se certificar de que o outro se convenceu do que o mentiroso disse.

25. Quanto mente, o mentiroso ergue um pouco o ombro enquanto o outro fica imóvel.

26.  Suar frio, corar, transpirar e respirar de modo ofegante, com dificuldade.

27. Uma sobrancelha sobe e a outra fica imóvel.

28. O mentiroso procura um meio de ficar de costas para a parede, dando a impressão que mentalmente está pronto para se defender.

29. Prontidão para responder as perguntas.  Responde mesmo sem perguntar

Desejo de antecipar os questionamentos.

30. Solicita que a pergunta seja repetida.  Responde com outra pergunta.

31. Sarcasmo para aliviar as preocupações do interlocutor.

32. Dupers delight. O mentiroso demonstra prazer em mentir. Os cantos da boca sobem um pouco de modo sarcástico.

33. Microrrugas da testa.

34. Frases para ganhar tempo:

Ø “Não sei de nada”.

Ø “Por que eu mentiria para você?“

Ø “Para dizer a verdade…“

Ø “Para ser franco…”,   “De onde você tirou essa idéia?”

Ø  “Por que está me perguntando uma coisa dessas?”

Ø  “Poderia repetir a pergunta, por favor?”

Ø  “Eu acho que este não é um bom lugar para se discutir isso“

Ø  “Podemos falar mais tarde a respeito disso?”

Ø “Como se atreve a me perguntar uma coisa dessas?”

Ø “Juro por Deus” (juras pelo filhos, netos, mãe etc.

 

35. A voz. Pode falhar e a pessoa parece incoerente.

36. Voz fora do tom: as cordas vocais, músculo fica enrijecido quando a pessoa está sob pressão: som mais alto.

37. Voz não concorda com o corpo. A cabeça diz não e a voz afirma sim ou vice-versa.

38. Engolir em seco.

39. Pigarrear.  Devido à ansiedade, o muco se forma na garganta.

40. Gaps na estória.  O mentiroso começa a contar a estória que ocorreu em determinado momento pula, corta ou esqueça quatro horas e continua a estória

41. Ponto de conflito. As expressões são totalmente contrárias ao que se espera. Mataram a esposa e a pessoa parece feliz.

42. Mãos ou dedos coçando o nariz.

43. Aumento das piscadelas.  (mas também é sinal de ansiedade.)

44. Aumento do número de autocontatos. Toques no rosto, braços, mãos etc.

45. Choro falso. Sem lágrimas. Tentativa de sugar a coriza pelo nariz.

 

Quando existe convicção as mãos e braços gesticulam. Possível verdade.

Enfatizar o ponto de vista e demonstrando forte convicção?  Idem.

Deixe uma resposta