Linguagem corporal Gestos – Carretilha

postado em: Artigos | 0

Linguagem corporal Gestos – Carretilha

Os gestos na linguagem corporal recebem os mais diversos nomes, isto visa facilitar a compreensão de forma mais ágil, tanto para o leigo como para os estudantes.

Os nomes fazem a alegria dos iniciantes, tanto pela relação com determinados objetos, como pelo inusitado da descoberta.

Um destes gestos é chamado de carretilha (ou molinete), em uma alusão clara ao mecanismo utilizado na vara de pescar.

O orador ergue a mão na altura do ombro e a gira como se estivesse dando linha. Quanto mais a mão se afasta do corpo, mas intenso é o gesto.

O mesmo ainda pode se ampliar tendo em vista a altura, algumas vezes a mão é erguida acima da cabeça. Neste caso o exagero é notado com facilidade.

A intepretação deste gesto é muito simples e fácil. “Quero colocar minhas ideias para todos vocês. Este é o meu pensamento, minhas afirmações que jogo para vocês”.

Existe a intenção clara que colocar as próprias ideias para os demais e fazer com que os mesmos a acatem. O desejo expresso no gesto é que os outros aceitem aquilo que dizemos, encampem nossas opiniões.

O gesto é executado de várias maneiras: com a mão aberta, somente com o indicador apontado e também com as pontas com polegar e o indicador unidos (pinçamento). Nos dois últimos casos se trata de um refinamento do gesto; ele se une a outros para que a intensidade do sinal seja maior.

Normalmente a carretilha é feita apenas com uma das mãos, mas oradores experientes podem utilizar as duas mãos abertas e o fazem com se estivem puxando o coração e as entranhas para fora do corpo. O gesto indica que está dando tudo que tem dentro de si para aqueles que o ouve. Muitas vezes o peito se estufa, o ciclo de respiração diminui (assim como fica profunda) e as palmas das mãos são mostradas para fora. Evidente que em determinados momentos a teatralidade do gesto é exacerbada. Em certos casos, embora com as palmas para cima, acabam em forma de garra – mostra de tensão e até mesmo raiva.

Quando este gesto é executado em sentido contrário, a mão gira como se fosse enrolar o fio visa trazer o interlocutor para o seu lado. Funciona como um chamado, visa trazer os demais para si e para suas ideias.

No dia 29 de agosto, em seu último voto no Supremo Tribunal Federal, Ministro Cezar Peluso utilizou várias vezes estes gestos, com as mãos abertas (ver vídeo) ou com o dedo indicador. Sinal de um orador sofisticado e experiente.

http://www.youtube.com/watch?v=sp_dElcE9Vk 00:28 seg.

http://www.youtube.com/watch?v=i-LYS3t0EmY   0:47 seg.

http://www.youtube.com/watch?v=TN9x_u67AfI   1. 13 seg.

Deixe uma resposta