Linguagem corporal. Como analisar mentiras. 100% e as incongruências. Post 152 05.2017

postado em: Artigos | 0

Linguagem corporal. Como analisar mentiras. 100% e as incongruências. Post 152 05.2017

 

Em recente artigo no Jornal O Globo, eu e e outro profissional analisamos (separadamente) o depoimento do ex-presidente Lula para o Juiz Moro.

Noves fora, das boas interpretações, no início da reportagem:

— As interpretações são diversas para estes tipos de eventos e ratificamos que apenas apontamos as incongruências entre o ato em si/palavras e os sinais não verbais — explica. — Qualquer conclusão sem uma investigação das incongruências é mera especulação, pois o motivo de elas terem surgido só ficará claro investigando-as.

 

Tenho que dizer, para meus leitores e alunos que ele está certo, mas somente 25%.  Especialmente porque diz “apenas apontamos as incongruências”.  No lugar de “apenas”, deveria constar a palavra “também”, como veremos a seguir.

E aqui não se trata de crítica ao profissional, ao contrário, um esclarecimento (devido aos questionamentos postados) que certamente facilitará, e muito, o trabalho dos profissionais.

 

O especialista em linguagem corporal tem sempre em mente que existem quatro princípios para a utilização correta da linguagem não verbal.

1. Princípio. Conjunto

Os mais diversos sinais corporais nunca são emitidos de forma isolada. Desta forma sempre analisamos o conjunto.

Mesmo que determinado gesto tenha a interpretação isolada, ele deve ser inserido no conjunto. Para tal o especialista se atém profundamente ao estudo do movimento.

“O mesmo movimento pode ter várias causas.”

Pela janela, observamos uma pessoa correndo. A primeira conclusão é óbvia:

“Ela está correndo. ”

Todavia: “O mesmo movimento pode ter várias causas.”

O motivo: pegar o ônibus, correndo da chuva, atrasado para o encontro, um pitbull vendo na direção etc.

Então, avaliar de maneira isolada, normalmente nos leva a erros.

Os americanos se apegam a Regra dos Quatro:

O especialista procura quatro pistas (“clusters cue”) antes de concluir – são mais do que suficientes para termos confiabilidade no processo. Com a inferência e associação delas é que tiramos a conclusão.

Em alguns casos temos ou três pistas – mesmo assim elas podem ser confiáveis para a conclusão.

O termo é “preponderância da evidência“, ou “preponderância da pista”. Determinada pista é um indicativo muito forte e deve ser levado em conta, tanto com outras, mas juntamente com os demais princípios.

Para o ex-agente do FBI Joe Navarro:

“Quanto mais peças do quebra-cabeça você possui, melhores são as chances de juntar todas e avaliar a imagem que retratam.”

Por exemplo:

A pessoa está com os braços cruzados (pista) + neve + casaco = provavelmente frio.

A pessoa está com os braços cruzados (pista) + casaco + outra pessoa acusa ela com dedo em riste = provavelmente defesa.

Quanto mais pistas, mais precisa é nossa conclusão. Porém cuidado, pistas demais confundem.

Stan Walters, especialista em mentira e interrogatórios diz que os gestos são dignos de nossa atenção quando ocorrem dentro de 3-5 segundos durante pergunta ou a discussão sobre o tema. Portanto, no mínimo entre 2-4 clusters devem acontecer dentro desse prazo para que possamos formar a interpretação precisa.

Em resumo: o gesto isolado muitas vezes é apenas isto, um gesto isolado.

 

2. Princípio. Contexto

O casal Macmillan quando parado pelo guarda Gordon Cooper numa free-way americana vai apresentar a linguagem corporal compatível com o país em que moram. Os mais diversos aspectos culturais, legais, profissionais estarão envolvidos na linguagem corporal de todos.

O casal Silva Pereira quando parado pelo guarda João na BR-117, certamente vai mostrar uma linguagem corporal com nuances diferentes.

A situação, o contexto social, a região em que residem ou que visitam, a velocidade com que foram parados, o guarda está ou não em um “bom dia”. Tudo é levado em conta na interpretação.

 

3. Princípio. Familiaridade

Estamos ou não familiarizado com o comportamento verbal daquela pessoa. Estamos ou não familiarizado com o tipo de situação que analisamos.

É importante lembrar que para analisar determinado comportamento não verbal nem sempre estaremos familiarizados com o tipo de situação. Todavia, quando mais conhecermos as pessoas envolvidas, seus gestos, cultura, idiossincrasias, momento pelo qual passam, formação escolar, melhor será a interpretação.

Evidente que se você nunca participou de um júri, quer como jurado ou testemunha, como juiz ou advogado; nunca fez um interrogatório, nunca assinou um inquérito policial, provavelmente a familiaridade não será tão boa quanto a quem tem mais de 20 anos de vivências.

Repito que não é impossível, aliás, é bastante, plausível; porém quem tem mais experiências, certamente terá mais familiaridade para analisar o contexto, o conjunto e por fim as incongruências.

 

4. Princípio. As incongruências

Um dos principais indícios de mentira na analisa da linguagem corporal são os sinais de incongruências entre os sinais verbais e os não verbais. A regra obrigatória é que os quatro princípios jamais são deixados de lado.

O especialista também analisa o conteúdo das respostas, elas têm que estar congruentes com os sinais corporais.

Observe com atenção todas as partes do corpo. Cabeça, tronco, mãos, pernas.

Tenha também em conta que muitas vezes a pessoa está com parte do corpo escondida na mesa, sentada em banco desconforávies etc.

Pelo que ficou explícito, temos que levar em conta sempre os quatro princípios, nunca de maneira isolada.

 

Variantes no interrogatório de Lula pelo juiz Sergio Moro.

Na análise não foquei nas microexpressões de Lula. O motivo é simples: a imagem era de péssima qualidade. Neste caso os erros seriam facilmente ampliados. (e foram, como interpretar tristeza profunda.)

A posição da câmera não era a mais conveniente.  O Lula muitas vezes necessitava virar para responder certas perguntas ou pegar documentos para ler (ou fingir que lia, como aconteceu em certos momentos.)

Qualquer que seja, estar em frente a um Juiz Federal é motivo de tensões, ansiedades etc.

Analisando tanto o contexto, como as provas apresentadas, minha familiaridade, conteúdo e incongruência, é possível afirmar com grande possibilidade de acerto que o ex-presidente mentiu várias vezes.

 

Veja também:

Post 151 05.2017 Linguagem corporal de Michel Temer Segundo pronunciamento.

Post 150. 05.2017 Linguagem corporal. Gestos de dominância. Determinação. 

Post 149. 05.2107 Linguagem corporal de Michel Temer no pronunciamento. 

Post 148. 05.2017 A linguagem corporal e os lábios torcidos.

Post 147. 05.2017 10 razões porque você precisa urgentemente aprender linguagem corporal.

 

Paulo Sergio de Camargo

Palestras – Cursos Linguagem Corporal – Perfis Grafológicos 

www.lingcorporal.com.br        http://grafonautas.blogspot.com/     http://twitter.com/Grafonauta

Loja Virtual – Livros de Grafologia   http://grafonauta.tudonavitrine.com.br/

 

 

 

Deixe uma resposta