Depoimento de Wesley Batista logo após sua prisão.

Ao avaliar qualquer pessoa tenha em conta as circunstâncias. A pessoa ao ser presa, por mais que esperasse isto, passa por momentos de intenso estresse. É bem verdade que criminosos contumazes não estão nem ai para mais uma prisão ou interrogatório.

A maioria das pessoas nunca esteve diante de um juiz federal e o interrogatória é algo intimidatório, até mesmo para as testemunhas que são apenas isto, testemunhas. O aparato montado pelo Poder Judiciário é realmente intimidador.

Em outro artigo descrevo a posição das cadeira nos interrogatórios do Juiz Sérgio Moro.

 

Wesley Batista em três tempos:

 

Tempo 01. Falsa reza. A falsa reza sempre se preza por um certo exagero com as mais. A pessoa está suplicando, voz fica embargada. Todavia não existe choro propriamente dito. Normalmente está liga a mentiras.

Falsa reza

 

Tempo 02. Olhar para cima e para direita. Embora existem diversas controvérsias entre muitos especialistas, a maioria concorda que a pessoa aciona o centro criativo do cérebro. Possível mentira. Para mim, é mais do que isto, também se trata de evitar encarar diretamente o inquisidor -ou seja, fuga.

Observe no vídeo que em 013 seg. Ele sim: “sinceridade”. A cabeça diz não. Mentira.  Quando a pessoa usa as palavras, “na verdade”, “sinceridade”, “para ser honesto”, “veja bem” etc. Forte indício de mentira.

Olhar para cima, e à direita

 

Tempo 03. 0.28 seg. Contar nos dedos, enumerar. Observe que ele acaba se enrolando. Quando a pessoa tem certeza a contagem nos dedos é direta, consistente e em plena concordância com a fala.

Contar nos dedos

 

Paulo Sergio de Camargo

Palestras – Cursos Linguagem Corporal –Treinamento de líderes  grafonauta@terra.com.br 

www.lingcorporal.com.br        http://grafonautas.blogspot.com/     http://twitter.com/Grafonauta

Loja Virtual – Livros de Grafologia   http://grafonauta.tudonavitrine.com.br/